fbpx

Com os dias contados, Bruno Silva e Márcio Almeida iniciam processo para fechar lixão a céu aberto

Na tarde dessa quarta-feira (23), um importante passo foi dado para acabar com o lixão a céu aberto localizado bem próximo de Coelho Neto. Uma visita feita pelo secretário de obras Márcio Almeida e o prefeito Bruno Silva ao atual gerente do grupo João Santos garantiu a doação de um terreno que viabilizará o aterro sanitário municipal.

De acordo com a Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), ao menos 3.000 de 5.570 municípios do país mantém lixões a céu aberto. O lixão é uma forma inadequada de disposição dos resíduos. É uma simples disposição dos resíduos no solo a céu aberto, sem nenhuma proteção com o meio ambiente e a saúde pública.

Chamando a responsabilidade para si, o prefeito Bruno Silva decidiu iniciar a desativação do lixão a céu aberto e substituí-lo por um aterro sanitário. Durante a época mais fria do ano, a população urbana da cidade sofre com a proximidade que temos desse depósito de lixo, pois é nesse período que a fumaça produzida pela queima dos gases procedente da decomposição dos resíduos atingem em cheio nossa população.

Hoje (23), Bruno Silva e o secretário de obras Márcio Almeida visitaram Genival Pereira, atual gerente geral do Grupo João Santos, que anunciou a doação de uma grande área para o munícipio de Coelho Neto. Provavelmente a área doada ficará às margens da rodovia estadual que liga nosso município à cidade de Afonso Cunha, nela o governo pretende instalar o tão sonhado aterro sanitário municipal.

Exemplo de Aterro Sanitário

Por incrível que pareça, o governo tem em mãos um moderno projeto de aterro sanitário que foi desenvolvido ainda na gestão Márcia Bacelar. Contudo, o projeto da ex-gestora só prevê a utilização do aterro por até 10 anos. Em conversa com o secretário Marcio Almeida, o prefeito de Coelho Neto decidiu reaproveitar o mesmo projeto apenas com uma ressalva, ampliar o tempo de utilização de 10 para 20 anos.

Mais uma vez, Bruno Silva mostra sensibilidade apurada com tudo aquilo que é benefício para nossa população, sem se importar em reaproveitar projetos deixado por outros governos para outros governos.

É triste saber que mesmo deixado a disposição por mais de 16 anos, nenhum outro gestor anterior a Bruno Silva sequer moveu um passo no sentido de viabilizar esse aterro sanitário. A falta de prioridade dada a gestão desse problema é mais um dos ciclos ruins que se encerram no atual governo, do jeito que vão indo as coisas, não havemos de duvidar que outros velhos problemas em breve também estarão —com os dias contados. Aguardemos!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui